seletti atitude sustentavel

Nove medidas para baixar de vez sua conta de luz e ajudar a natureza

Postado em 10/09/2014 as 19:07

Dicas de iluminação e economia dos eletrodomésticos em casa

1. Lâmpadas
As lâmpadas fluorescentes costumam gastar menos energia do que as outras lâmpadas. Porém, a arquiteta especialista em iluminação, Cristina Maluf, alerta que este tipo de lâmpada não deve ser ligada e desligada com frequência, pois elas queimam com mais facilidade (e geram um lixo muito prejudicial a natureza). “É um erro usar lâmpadas fluorescentes onde há sensor de presença, por exemplo, pois este tipo de lâmpada não é feita para ser desligada a toda hora”, afirma. Outro cuidado que deve ser tomado com as fluorescentes é procurar não utilizar as de luz branca. Prefira as amarelas, que são mais suaves e deixam os ambientes mais aconchegantes. “As lâmpadas muito brancas deixam o ambiente frio, é comprovado que elas podem, inclusive, alterar negativamente o humor. Por isso as amarelas devem ser sempre as preferidas, a não ser em locais como a lavanderia, onde a pessoa permanece por pouco tempo”, sugere a arquiteta.

As lâmpadas de LED são outra opção econômica, porém com intensidade de luz mais fraca. “Não adianta trocar as lâmpadas comuns por led e ter que ascender várias luzes ao mesmo tempo, desta forma a economia vai por água abaixo”, lembra Cristina. As lâmpadas de LED são ideais para dar destaque, como em um quadro ou escultura, e para ser usada em gesso no teto.

2. Paredes e janelas
Paredes claras exigem menos luzes ligadas, portanto, uma alternativa para a economia é pintar as paredes em tons suaves. Outra dica é referente às janelas, quanto mais aberturas tiver uma casa, mais alegre ela vai ser e menos luz artificial vai precisar. Mas a arquiteta também tem algumas ressalvas quanto a luz do sol: “As telhas transparentes e as janelas no teto esquentam os ambientes, portanto, não adianta se utilizar destes recursos e viver com o ar-condicionado ligado – que é um dos eletrodomésticos que mais gastam luz em casa”. As fontes de luz devem ser pequenas, nunca fazer um telhado inteiro de telhas transparentes. Quanto às janelas no teto, é importante que elas sejam feitas de vidro laminado ou acrílico prismático (anti-UV e anti-IR), e para complementar, vale usar cortinas ou persianas solares.

Ambientes de passagem, como corredores, não necessitam de muita luz, e por isso podem ser pontos estratégicos de economia em uma casa. Trocar a lâmpada de um abajur por uma fluorescente, nem sempre é um bom negócio. Abajures de tecido costumam absorver muita luz, e por isso a iluminação fica muito ruim.

Se você resolver levar a economia a sério, já existem sensores de luz, que medem a quantidade de luz solar que adentra nos ambientes e utiliza a luz artificial conforme necessidade. Este tipo de sistema de automação precisa de um profissional para orientar a instalação conforme a necessidade do ambiente. A Instalações & Cia vende este tipo de sensor da marca IHC Technologies sob encomenda.

3. Ar-condicionados e aquecedores
Ambientes com muito vidro, sem cortinas, costumam ser quentes. Apesar de um ambiente envidraçado ser lindo, é importante que eles tenham algum tipo de proteção contra o sol. Fechar portas e janelas quando o ar-condicionadoou aquecedor estiver ligado faz com que o ambiente fique na temperatura desejada mais rápido. Quando a temperatura estiver ideal, desligue o aparelho. Outra dica é limpar os filtros periodicamente, pois a sujeira dificulta a passagem do ar e força o ar-condicionado.

4. Geladeira e freezer
Sempre que possível retire de uma vez só todos os alimentos que vai usar – assim não é preciso ficar abrindo e fechando a porta – e mantenha a borracha de vedação em bom estado, para não escapar o ar frio. Não coloque em seu interior alimentos ainda quentes e nem forre as prateleiras com vidros ou plásticos, pois isso dificulta a circulação do ar.
Instalar a geladeira em local ventilado, fora do alcance dos raios solares e distante do fogão, é muito importante para não forçar a potência do refrigerador. Faça o degelo quando a camada de gelo atingir a espessura  de aproximadamente 1cm. No inverno, regule o termostato para uma posição de frio não muito intenso e durante ausências prolongadas, esvazie a geladeira ou freezer e desligue o aparelho da tomada.

5. Televisão
Não deixe a TV ligada quando você não estiver assistindo e evite dormir com ela ligada. Dê preferência a aparelhos que possuam timer (função para desligamento automático). No modo standby o aparelho está pronto para ser usado, mas temporariamente fora de uso e, portanto, sem consumo total de energia já que nem todas as partes do equipamento estão funcionando – este é um outro jeito de economizar.

6. Chuveiro elétrico
Evitar banhos demorados é uma das principais formas de se economizar em casa. O modo “inverno” gasta 30% a mais de energia do que o modo “verão”, portanto, nos dias quentes troque a posição do seu chuveiro. O chuveiro elétrico ainda é o mais econômico dos chuveiros.

7. Ferro elétrico
Evite ligar o ferro nos horários em que muitos aparelhos estejam ligados. Ele sobrecarrega a rede de energia elétrica. Espere acumular uma razoável quantidade de roupa e passe tudo de uma vez só. Siga as instruções de temperatura para cada tipo de tecido e passe primeiro as roupas que necessitam de temperaturas mais baixas.

8. Máquina de lavar roupa e louça
Use a máquina só depois de ter juntado a quantidade de roupa máxima indicada pelo fabricante do aparelho. Limpe com frequência o filtro das lavadoras de roupas e louças. Utilize a quantidade correta de sabão ou detergente para não ter que enxaguar novamente.

9. Na hora de comprar todos os eletrodomésticos
Os campeões de economia nas suas respectivas categorias ganham o selo do Procel de Economia de Energia – na hora da compra, de preferência a esses modelos. Este selo é um prêmio anual concedido pelo Procel aos equipamentos de fabricação nacional que apresentem os melhores índices de eficiência energética em suas categorias.